Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Como se manifestam as dificuldades de Linguagem Escrita?

Estudos mais recentes consideram a linguagem escrita como parte de um continuum da linguagem oral e, as duas, como parte de um processo geral de linguagem. Portanto, aprender a ler e escrever depende de habilidades adequadas de processamento da fala.

As principais dificuldades de Linguagem Escrita estão:

Nos processos gerais de linguagem:

. habilidades verbais e semânticas deficientes;

. falhas no processamento auditivo e na consciência fonológica;

. conhecimento limitado do vocabulário;

. habilidades de processamento inferencial e integrativo pouco desenvolvidas.

Na leitura (recepção):

. déficits de decodificação gráfica;

. dificuldade de compreensão do conteúdo lido.

Na escrita (expressão):

. disortografias (problemas ortográficos de diversas naturezas) e disgrafias (dificuldades diversas no traçado das letras);

. dificuldades no discurso escrito (textos pobres de conteúdo e de coerência).

Como são tratadas as alterações da Linguagem Escrita?

O Fonoaudiólogo realiza, inicialmente, uma entrevista com a família (anamnese), a fim de obter todas as informações relevantes sobre a criança ou o adolescente que apresenta dificuldades. Em seguida, é feita uma cuidadosa e detalhada Avaliação de Linguagem com o objetivo de identificar potencialidades e deficiências do paciente.

Determinado o tipo de tratamento mais eficiente para as necessidades do paciente, dá-se início à Terapia Fonoaudiológica propriamente dita.

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.