Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Pesquisas recentes têm revelado uma frequente correlação entre as dificuldades de aprendizagem e as desordens do processamento auditivo.

Audição e processamento auditivo

A audição é um sentido fundamental para a aquisição e o desenvolvimento da linguagem verbal e para a comunicação do indivíduo com o seu meio. A audição é um sentido que apresenta um sistema periférico (orelhas externa, média e interna) e um sistema central (neural) e se dá de maneira contínua, ininterrupta e pluridirecional.

O processamento auditivo, também chamado de processamento auditivo central (PAC), é o termo usado para descrever a maneira como o cérebro reconhece e interpreta a informação auditiva que ouvimos.

O Processamento Auditivo nos ajuda a discriminar entre diferentes sons, a selecionar sons ou fala em um ambiente ruidoso e a entender a fala mesmo quando a qualidade sonora é ruim.

Dificuldades de aprendizagem

As dificuldades de aprendizagem costumam ser diagnosticadas na idade escolar, fase em que a criança e o adolescente podem apresentar dificuldades em leitura, escrita, linguagem oral, raciocínio matemático, memorização e na organização da informação

Este comprometimento no aprendizado não é o resultado direto de problemas intelectuais, sensoriais ou psicológicos que justifiquem essas dificuldades. As dificuldades de aprendizagem resultam de uma maneira diferente do cérebro receber, processar e lidar com determinadas tarefas e informações.

Aprendizagem X processamento auditivo

A audição, por ser uma via sensorial tão importante, possui um papel fundamental no processo da aprendizagem. No ambiente escolar, tanto a interação com o professor e com os outros alunos, como boa parte do conteúdo ensinado, acontece pela via oral. Uma dificuldade no processamento destas informações pode ter um impacto muito negativo sobre a aprendizagem.

Algumas crianças em idade escolar podem apresentar níveis de audição normais e, ainda assim, ter dificuldade nas habilidades auditivas. Entre as dificuldades mais comuns estão a de não compreender a fala em ambiente ruidoso ou em ambiente com vários falantes, de distrair-se com facilidade, de apresentar dificuldade em memorizar e seguir instruções orais e de necessitar de um tempo maior para processar as informações ouvidas.

Pesquisas recentes têm mostrado que é relativamente comum encontrar crianças e em adolescentes com dificuldades de aprendizagem, também com alterações no processamento auditivo.

Neste sentido, é importante complementar a avaliação na área da aprendizagem com uma avaliação do processamento auditivo. Aqueles indivíduos que apresentarem, além da dificuldade de aprendizagem, um distúrbio no processamento auditivo, necessitam de um acompanhamento terapêutico que contemple ambas as necessidades.

É importante destacar que tanto o transtorno do processamento auditivo como as dificuldades de aprendizagem quando identificados precocemente possibilitam uma intervenção terapêutica mais eficaz e adequada.

Por fim, deve-se ressaltar o papel do fonoaudiólogo como o profissional habilitado para o tratamento das dificuldades acima descritas e para a orientação aos pais e à escola do paciente.

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Referência:

Ribas A, Rosa M, Klagenberg K. Avaliação do processamento auditivo em crianças com dificuldades de aprendizagem. Rev. psicopedag. vol.24 no.73 São Paulo  2007 em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psicoped/v24n73/v24n73a02.pdf

imagem: http://etc.usf.edu/clipart/