Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte
little-girl-reading-a-book

Intervenção precoce em crianças com dislexia

A identificação de crianças com dislexia, já no primeiro ano do ensino fundamental, poderia diminuir a lacuna em relação aos leitores típicos, de acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Califórnia, Davis e da Universidade de Yale.

Os dados indicam que já não é aceitável esperar que a criança esteja no 3º ano ou mais antes de empreender esforços e tratar a dislexia.

“Se a diferença no desempenho entre os leitores disléxicos e típicos deve ser estreitada, ou até mesmo zerada, as intervenções em leitura devem ser implementadas cedo, quando as crianças ainda estão desenvolvendo os fundamentos básicos para a aquisição da leitura”, disse Emilio Ferrer, professor de psicologia UC Davis. Ele é o autor principal do artigo publicado no The Journal of Pediatrics de novembro de 2015.

Ferrer e seus colegas de Yale, Bennett e Sally Shaywitz, relataram os resultados de um estudo longitudinal de leitura a partir do 1º ano até o ensino médio e além. Em comparação com os leitores típicos, os leitores disléxicos tiveram pontuação menor leitura já no 1º ano, e suas trajetórias ao longo do tempo nunca convergiram com as de leitores típicos. Estes dados demonstram que essas diferenças não são tanto em função do aumento das disparidades ao longo do tempo mas, em vez disso, refletem diferenças marcantes já presentes no 1º ano entre os leitores típicos e os leitores disléxicos.

Os autores também concluem que a implementação de programas de leitura eficazes tão cedo quanto educação infantil (pré-escola) oferece o potencial para fechar a lacuna entre os leitores típicos e os leitores disléxicos.

 

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Referência:

University of California – Davis. “Early intervention in dyslexia can narrow achievement gap: Intervention should begin in first grade, or earlier.” ScienceDaily. ScienceDaily, 2 November 2015. <www.sciencedaily.com/releases/2015/11/151102184216.htm>.

Imagem: My cute graphics