Atividade de Linguagem

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

Atividade de Linguagem

A estimulação da linguagem mediada pelo adulto contribui para o desenvolvimento da linguagem oral na criança pré-escolar.

O jogo é um meio interessante para promover a interação com a criança de uma forma criativa e divertida.

O site “La classe de Laurène” apresenta vários jogos para o desenvolvimento infantil, em diversas competências.

Destaco o jogo “Qui suis-je?”, em que é possível explorar diversas habilidades linguísticas: vocabulário, elaboração discursiva oral e, até mesmo,  a elaboração discursiva escrita.

O jogo apresenta 24 fichas, cada uma delas com três pistas, para que a criança identifique a que animal pertencem. Este animal será colocado no espaço onde há um ponto de interrogação.

Por ser um jogo apenas de figuras, é facilmente adaptável para qualquer idioma e pode ser muito útil na terapia fonoaudiológica.

É só imprimir e… Mãos à obra!!

Quem sou eu?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Referências:

La classe de Laurène

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

 

A aventura das palavras

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

a aventura das palavras

“A aventura das palavras” é um novo aplicativo educativo em português, que já se encontra disponível para Android.

Há também uma versão web, possível de ser usada online.

Segundo a equipe da Bubble Boy, o aplicativo ajuda a desenvolver “de forma divertida as competências ligadas à leitura como a correspondência grafofonética (correspondência letra-som), fusão fonética e fusão silábica, trabalhando vários tipos de sílabas (das mais fáceis às mais difíceis) e os casos especiais da Língua Portuguesa”.

O aplicativo apresenta um jogo de escrita de palavras, com três níveis de dificuldade, e a possibilidade de acrescentar mais letras para tornar a atividade ainda mais desafiadora. 

Possui um visual agradável e amigável, com os personagens Jako e Drako.

Uma figura é apresentada e as letras que formam a palavra desta figura se encontram embaralhadas. A criança deverá escrever a palavra, colocando as letras na ordem exata. Depois, poderá verificar se acertou ou não. Caso não tenha conseguido formar a palavra, poderá retirar as letras e recolocá-las novamente. E assim a atividade continua, apresentando novas figuras e desafiando a criança a escrever as palavras que as representam.

É um aplicativo que pode ser usado em vários contextos, inclusive em terapia para crianças com Dificuldades de Aprendizagem.

Esperamos que Tiago Epifânio e João Caleia, da Bubble Boy, continuem a nos oferecer aplicativos educativos interessantes e eficientes como “A aventura das palavras”.

Avaliação: ★ ★ ★ ★ Bom

Referências:

Site do aplicativo da Bubble Boy: http://bubbleboygames.com/our-games/

Google play store: play.google.com/store/apps/details?id=com.bubbleboy

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

 

 

Distúrbios De Linguagem São Dificuldades De Aprendizagem

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

boy-holding-big-pencil

Compartilho no blog Fonológica algumas questões do ótimo artigo que li recentemente “Language Disorders Are Learning Disabilities: challenges on the divergent and diverse paths to language learning disability” escrito em 2014 por Sun e Wallach.

O artigo trata da complexa natureza dos distúrbios de linguagem na primeira infância, a sua sobreposição e a sua continuidade com as dificuldades de aprendizagem na idade escolar e os diversos rótulos diagnósticos que podem acompanhar as crianças com dificuldades de linguagem e de aprendizagem. Os autores propõem que a maior parte dos distúrbios de aprendizagem são dificuldades de linguagem que mudaram ao longo do tempo.

O artigo cita como exemplo o caso de Tim, de 2,5 anos com atraso de linguagem. Tim tem dificuldades tanto na área de compreensão, como de expressão, além de questões de atenção. Ele recebeu o diagnóstico de Dificuldade específica de linguagem (DEL) e continuou a receber atendimento fonoaudiológico quando entrou na escola. No 2º ano, Tim já falava e compreendia a linguagem do dia a dia, mas apresentava dificuldades escolares, incluindo as habilidades em leitura e escrita e em expressar suas ideias oralmente e por escrito. A mãe de Tim questionou a possibilidade da criança apresentar um outro problema além da questão da linguagem.

 

Esta dúvida da mãe de Tim leva à clássica questão levantada há décadas por pesquisadores: “Estamos falando de um grupo de crianças que são chamadas por diferentes nomes, mas que na realidade evidenciam um continuum de dificuldades na aprendizagem da linguagem?” Esta foi a resposta dada à mãe de Tim – não há uma nova dificuldade, mas uma diferente manifestação da dificuldade de linguagem de Tim. As diferentes dificuldades vão surgindo à medida que Tim enfrenta novos desafios, já que as demandas de linguagem aumentam à medida que o grau de escolaridade avança.

Como o caso de Tim sugere, crianças e adolescentes com desafios na área de linguagem podem ser identificados com diferentes diagnósticos, em diferentes momentos da vida (da pré-escola ao ensino médio e à vida adulta).

O propósito do artigo é desvendar equívocos sobre os caminhos paralelos e divergentes que crianças com dificuldades de linguagem podem assumir através dos anos, às vezes mudando de diagnóstico conforme elas encontram novos desafios na linguagem oral e escrita.

 

Três argumentos são apresentados sobre a relação entre dificuldades de linguagem e distúrbios de aprendizagem:

1. Os rótulos diagnósticos podem mudar em diferentes contextos por diferentes profissionais – de dificuldades de linguagem para distúrbios de aprendizagem – quando as crianças entram na escola e começam a apresentar dificuldades acadêmicas. Mas, as suas necessidades linguísticas persistem, não importando como sejam chamadas. A maioria das crianças recém identificadas como tendo distúrbios de aprendizagem apresentam necessidades em linguagem e alfabetização pré-existentes que não foram identificadas e que devem ser tratadas.

2. Distúrbios de linguagem nos anos pré-escolares tendem a seguir a criança através do tempo, manifestando-se de forma diferente baseados nas habilidades inerentes ao indivíduo, nos contextos de aprendizagem da linguagem e nas tarefas de aprendizagem. Fonoaudiólogos devem estar cientes dos alicerces linguísticos que as tarefas de aprendizagem demandam e a natureza e período em que há uma “aparente recuperação”.

3. A linguagem está na base de todo o currículo escolar, envolvendo todas as matérias e não somente “Línguas”. A implicação disso é que as escolhas de intervenção devem ser baseadas nas dificuldades que os alunos apresentam no contexto curricular, independentemente de seus rótulos diagnósticos.


Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Predictable App – O aplicativo da comunicação

Predictable App Português – comunicação ao seu alcance

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte e Cecília Schapiro Bursztyn

     Poder se comunicar, esse é um dos maiores desejos de quem, porventura, perdeu ou não desenvolveu completamente essa habilidade.

     Felizmente, a área de Tecnologia Assistiva tem desenvolvido diferentes alternativas para auxiliar na comunicação de indivíduos impossibilitados de se comunicar através da fala.

     À área de desenvolvimento de aplicativos em português para Comunicação Ampliada e Alternativa (CAA) veio se somar o excelente aplicativo Predictable, que já existia em outras línguas.

     O premiado aplicativo Predictable, da empresa inglesa Therapy Box, é um completo e poderoso app de comunicação assistiva de saída de voz, projetado para atender usuários com dificuldades de comunicação, devido aos mais diversos transtornos neurológicos e físicos.

     Entre os diferenciais do Predictable estão a facilidade em aprender a usá-lo e a rapidez em se comunicar, já que o aplicativo tanto consegue prever palavras, como usar frases previamente armazenadas em um banco de dados.

     Predictable é um aplicativo idealizado para iPad, iPhone e iPod Touch.

app

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Recursos e configurações do Predictable:

  • Acesso: três modos de acesso – através do toque direto (modo convencional); por toque em qualquer lugar da tela; e por interruptor de acesso (o primeiro aplicativo para iPad acessível por interruptor);
  • Saída de voz: seleção entre algumas opções de voz, com ajustes de tom, ritmo e opções de fala (que podem seu úteis dependendo da situação);
  • Predição de palavras: seu recurso mais poderoso, que facilita e agiliza sobremaneira a comunicação – um sistema de autoaprendizagem, que consegue prever palavras à medida que as letras vão sendo digitadas na janela de mensagem (exibe até seis palavras previstas). Além de gerenciar erros de ortografia, consegue aprender novas palavras inseridas pelo usuário e o seu contexto de uso.  
  • Painel de escrita: no modo “toque direto” é possível optar pelo uso da escrita manual.
  • Frases: excelente – as frases podem ser previamente armazenadas em diversas categorias (ex.: ajuda, minha família, sentimentos, coisas que eu gosto, etc.) que podem ser editadas, ampliadas, associadas à imagens (tirar foto, galeria e biblioteca do Predictable), áudio (possibilidade de gravar voz) e multimídia. É possível, ainda, copiar e colar textos de dentro para fora do aplicativo e vice-versa.
  • Através da tecla de acesso “Usar”, o app pode ser integrado ao:
  1. E-mail: quando conectado à Internet, as mensagens criadas com o Predictable podem ser enviadas como e-mail diretamente do aplicativo;
  2. Integração às mídias sociais Facebook e Twitter: quando conectado à Internet, é possível postar no Facebook e no Twitter;
  3. Skype: recurso disponível para iPad e iPad Mini, o usuário tem a possibilidade de usar o Skype, via Predictable;
  4. Feeds de Notícias: navegar pelas últimas notícias dentro do Predictable.
  • Outros acessos através da tecla “Usar”:
  1. Histórico: acesso rápido às palavras ou frases mais recentes;
  2. iMessage e Imprimir.

     Apesar de ter sido desenvolvido para a comunicação assistiva, na terapia fonoaudiológica o aplicativo pode ser usado criativamente em outras necessidades terapêuticas: suporte a pacientes com Dislexia (detecta erros ortográficos e exibe a palavra correta na caixa de previsão de palavras), como apoio à Alfabetização, à Grafia e ao Desenvolvimento da Linguagem Oral (pode gravar a voz do paciente).

Avaliação: ★ ★ ★ ★ ★ Ótimo

Referências:

Site do Aplicativo Predictable: www.therapy-box.co.uk

Manual do usuário: http://www.therapy-box.co.uk/pa_portugues.aspx#DOWNLOADS

 

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

O que você precisa saber sobre Terapia Fonoaudiológica

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte
kid-doing-school-work
     Assim como o Fonoaudiólogo auxilia pacientes com os mais diversos transtornos de Fala, trata também de outros tipos de dificuldades

     Se o seu filho tem dificuldade em ler e escrever, a terapia fonoaudiológica pode não parecer a resposta óbvia. Muitas pessoas pensam que a Fonoaudiologia se destina apenas às crianças que não conseguem pronunciar certos sons, que gaguejam ou que tem a “língua presa”.

     O Fonoaudiólogo realmente trabalha com estas questões. No entanto, ele também trata de muitos outros tipos de problemas, em áreas como: Linguagem Oral, Linguagem  Escrita e Audição.

     Como funciona a Terapia Fonoaudiológica

     Através de uma Avaliação, o Fonoaudiólogo diagnostica a dificuldade que o paciente apresenta e, assim, consegue determinar qual o tratamento mais adequado para o caso.

     O Fonoaudiólogo é qualificado para tratar as seguintes dificuldades:

  • Fala: Não falar claramente e/ou não conseguir articular alguns sons da fala.
  • Fluência: Dificuldades com a fluência na fala (interrupções e bloqueios), como a gagueira.
  • Voz: Alterações na qualidade da voz (timbre, intensidade, qualidade).
  • Funções Orofaciais: Dificuldades na mastigação, na deglutição, na respiração e na motricidade orofacial.
  • Linguagem Oral: Atrasos no desenvolvimento e dificuldades em compreender e/ou em se expressar oralmente.
  • Linguagem Escrita: Alterações na expressão e/ou na recepção da Linguagem Escrita (Dislexia e Dificuldades Escolares em leitura e/ou escrita).
  • Audição: Alterações do Processamento Auditivo e Deficiência Auditiva.

     Benefícios da Terapia Fonoaudiológica

     A terapia Fonoaudiológica pode ajudar as crianças a falarem mais claramente. Isto as faz se sentirem mais confiantes e menos frustradas ao conversarem com as outras pessoas. Crianças que apresentam dificuldades de linguagem podem se beneficiar socialmente, emocionalmente e academicamente da Terapia Fonoaudiológica.

     Para estudantes com problemas de leitura, como a Dislexia, a terapia fonoaudiológica pode ajudá-los a perceber e a discriminar os sons das palavras, por exemplo: a palavra bola pode ser isolada nos fonemas / b /, / o /, / l / e / a /. Esta habilidade pode ajudar a desenvolver a compreensão da leitura e encorajar o paciente a ter prazer em ler.

     A terapia Fonoaudiológica é especialmente benéfica quando iniciada precocemente. Um estudo verificou que 70% das crianças na Educação Infantil com dificuldades de fala que passaram por tratamento fonoaudiológico mostraram desenvolvimento em suas habilidades de Linguagem.

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Imagem: My Cute Graphics

Página 2 de 17