Postado por Fonológica em 18 de fevereiro

Disortografia I – troca de letras na escrita

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Na disortografia, o processo de escrita das palavras foge do padrão ortográfico estabelecido. Neste sentido, a escrita com alterações ortográficas apresenta substituições, omissões e inversões de letras, com comprometimento da correspondência fonema-grafema (som-letra).

Algumas dificuldades ortográficas fazem parte da evolução normal do processo de apropriação da escrita como meio de comunicação. Neste sentido, os “erros” , ou seja, as disortografias, são vistas sob uma perspectiva evolutiva. Na medida em que as crianças praticam a escrita, vão tendo oportunidade de aprender e reter as regras ortográficas de nossa língua.

No entanto, substituições de grafemas por dificuldades de natureza auditiva (ex.: capelo/cabelo, guarta/guarda, amico/amigo, máxica/mágica, etc), não são esperados em nenhum grau de escolaridade, pois já denotam um desvio no processo da escrita e devem ser encaminhados a um profissional da área para um adequado acompanhamento.

Crianças com alterações mais significativas necessitam de um acompanhamento com o fonoaudiólogo, que poderá identificar com maior precisão o que está por trás desta dificuldade de leitura e escrita (perda auditiva leve, distúrbios de fala, desvios de atenção, alterações psicomotoras, imaturidade, etc). O encaminhamento correto por parte da escola abrevia o diagnóstico e, consequentemente, o processo de reabilitação.

Preparamos duas cartelas que auxiliam a terapia fonoaudiológica para as trocas de natureza auditiva:

Imagens: Icon made by Freepik from www.flaticon.com
Icons made by Freepik from www.flaticon.com is licensed by CC 3.0 BY

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Confira também:

Postado por Fonológica em 22 de outubro

Autoria do jogo: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Jogo “Olho Vivo” para terapia

jogo-olho-vivo

Olá!

Preparamos uma nova atividade para a terapia fonoaudiológica, o jogo “Olho Vivo”. O jogo oferece a oportunidade de trabalhar com a linguagem oral e escrita, consciência fonológica, habilidades auditivas e visuais.

O jogo apresenta figuras com fonemas iniciais que se distinguem pelo traço de sonoridade. Assim, o conjunto das figuras possui todos os pares de fonemas oclusivos e fricativos, surdos e sonoros: /p/ x /b/; /t/ x //d/; /k/ x /g/; /f/ x /v/; /s/ x /z/ e /ch/ x /j/.

A atividade também pode ser usada com os pacientes que apresentam trocas ortográficas por traço de sonoridade na escrita. Possui, abaixo de cada figura, a palavra que a representa.

A inspiração veio do site francês Lire Écrire Compter que mostra vários jogos educativos nas áreas de leitura, escrita e matemática. Pensamos que seria viável adaptar um deles e fazer um interessante jogo para a prática fonoaudiológica.

Bom jogo!

Link abaixo para baixar o jogo (em PDF)

jogo-olho-vivo-fonemas

 

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

 

 

 

 

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Confira também:

Postado por Fonológica em 25 de novembro

Autoria da atividade: Lilian Kotujansky Forte
www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Atividade de ortografia

Nas disortografias (trocas de letras na escrita), é importante apresentar à criança atividades que a ajudem a distinguir as letras que apresenta dificuldade.

Apresentamos abaixo uma atividade que trabalha com as substituições entre os grafemas (letras) P x B (feita com o software Click and Create).

Este tipo de disortografia, entre P e B, se deve às dificuldades da criança com a percepção auditiva de sons muito parecidos.

A relação entre fonema (som) x grafema (letra) não se encontra bem estabelecida, devido ao traço de sonoridade ser parecido entre os dois sons.

Nesta atividade cada figura apresentada começa com a letra B ou P. A criança escreverá o nome de cada figura apresentada com o objetivo de treinar a ortografia.

Treino_P_B

 

 

Abrir em arquivo PDF   Treino_P_B16-pics

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Salvar

Confira também:

Postado por Fonológica em 8 de maio

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

a aventura das palavras

“A aventura das palavras” é um novo aplicativo educativo em português, que já se encontra disponível para Android.

Há também uma versão web, possível de ser usada online.

Segundo a equipe da Bubble Boy, o aplicativo ajuda a desenvolver “de forma divertida as competências ligadas à leitura como a correspondência grafofonética (correspondência letra-som), fusão fonética e fusão silábica, trabalhando vários tipos de sílabas (das mais fáceis às mais difíceis) e os casos especiais da Língua Portuguesa”.

O aplicativo apresenta um jogo de escrita de palavras, com três níveis de dificuldade, e a possibilidade de acrescentar mais letras para tornar a atividade ainda mais desafiadora. 

Possui um visual agradável e amigável, com os personagens Jako e Drako.

Uma figura é apresentada e as letras que formam a palavra desta figura se encontram embaralhadas. A criança deverá escrever a palavra, colocando as letras na ordem exata. Depois, poderá verificar se acertou ou não. Caso não tenha conseguido formar a palavra, poderá retirar as letras e recolocá-las novamente. E assim a atividade continua, apresentando novas figuras e desafiando a criança a escrever as palavras que as representam.

É um aplicativo que pode ser usado em vários contextos, inclusive em terapia para crianças com Dificuldades de Aprendizagem.

Esperamos que Tiago Epifânio e João Caleia, da Bubble Boy, continuem a nos oferecer aplicativos educativos interessantes e eficientes como “A aventura das palavras”.

Avaliação: ★ ★ ★ ★ Bom

Referências:

Site do aplicativo da Bubble Boy: http://bubbleboygames.com/our-games/

Google play store: play.google.com/store/apps/details?id=com.bubbleboy

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

 

 

Confira também:

Postado por Fonológica em 27 de junho

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

A competência em Leitura também pode ser desenvolvida através do trabalho com instruções escritas. Crianças que apresentam dificuldades em compreensão na leitura, principalmente as que leem de maneira impulsiva e desatenta, podem se beneficiar de atividades que apresentam instruções escritas.

As fichas apresentam desenhos na parte superior e instruções que demandam, além da competência em leitura, conceitos de percepção visuoespaciais, de lateralidade e de atenção. O leitor deverá realizar uma leitura atenta do enunciado que contém as instruções do que deve ser feito. A partir da correção da atividade a criança terá como revisar e avaliar o seu trabalho .

TRABALHO COM INSTRUÇÕES ESCRITAS1

Clique no link acima para abrir. Arquivo PDF

Este material foi adaptado do excelente site espanhol Orientación Andújar.

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Confira também:

Postado por Fonológica em 11 de junho

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

Quem Somos

VELOCIDADE DE LEITURA

 

A velocidade de leitura é uma medida quantitativa relativa ao tempo despendido na leitura de um texto ou de uma lista de palavras. A taxa de leitura (número de palavras lidas por minuto – p.p.m.) pode ser representada pela seguinte fórmula:

 

Taxa = nº de palavras lidas X 60 segundos

                         tempo total de leitura

 

IMPORTÂNCIA DA FLUÊNCIA PARA O PROCESSAMENTO DA LEITURA

 

A fluência de leitura advém do desenvolvimento das representações fonológicas das palavras e da capacidade em processá-las rapidamente.
Crianças em início de escolaridade tendem a ler mais lentamente já que o processamento se dá pela rota fonológica (conversão grafema-fonema). Conforme a competência em leitura vai se desenvolvendo, a velocidade leitora aumenta progressivamente e ocorre o reconhecimento visual das palavras (rota lexical).
Pesquisas, como a de Fuchs, Fuchs & Hosp (2001), têm sugerido a existência de uma relação entre as habilidades de fluência e as de compreensão na leitura. Os pesquisadores argumentam que a fluência na leitura oral, por ser uma performance complexa e multifacetada, pode ser usada como uma forma confiável de caracterizar a perícia na leitura. A criança que lê com precisão e rapidez – fluência – é capaz de destinar a sua atenção para a compreensão do texto.

A fluência tem origem na aplicação automática de regras fônicas, bem como de um reconhecimento instantâneo de muitas palavras de visualização comuns. Os leitores que são capazes de atingir um grau de fluência gerenciam o texto mais suavemente e têm maior energia mental de sobra para criar significado das palavras que decodificam. Os leitores fluentes lidam com o texto de forma eficiente e, geralmente, alcançam mais significado com menor esforço que os leitores não fluentes. Os alunos que têm dificuldade de aprendizagem, muitas vezes, enfrentam maiores dificuldades em se tornarem fluentes, pois não fazem as generalizações sobre leitura e fonética que outros estudantes conseguem fazer por conta própria.

 

TERAPIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA LEITURA

 

Pacientes com Dificuldades de Aprendizagem e de Leitura normalmente tem maior dificuldade em serem fluentes, pois não desenvolvem adequadamente as habilidades de generalizar e de automatizar a leitura.

No atendimento a estes pacientes, uma das ferramentas que utilizamos é a Internet, que pode ser muito útil para o desenvolvimento das habilidades de:

– fluência (que envolve as habilidades de velocidade, precisão e prosódia durante a leitura);

– compreensão em leitura.

 

APLICATIVO PARA O TREINO DA VELOCIDADE DE LEITURA

 

Para o planejamento de atividades de leitura oral, visando o trabalho com velocidade de leitura, utilizamos o site Spreeder.

O site Spreeder é um aplicativo para leitura rápida online gratuito, que pode ser usado para o treino de velocidade de leitura (oral ou silenciosa).

O Spreeder possui algumas configurações muito úteis, que tornam o treino mais versátil:

– aceita qualquer texto para ser trabalhado;

– ajustes na fonte: cor e tamanho das letras;

– ajuste de velocidade de palavras lidas por minuto;

– ajuste na quantidade de palavras apresentadas a cada vez para a leitura.

 

 Captura de Tela 2014-06-10 às 14.49.06

 Site Spreeder

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

 

Confira também:

Postado por Fonológica em 9 de novembro

Atividade de Discriminação Auditiva

Traço de sonoridade /T/ x /D/

 

Autoria da atividade: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Captura de Tela 2013-11-09 às 16.28.37

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagens: Openclipart

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Confira também:

Postado por Fonológica em 20 de outubro

Atividades de Consciência Fonológica

 

ALITERAÇÃO

Autoria da atividade: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

 

Captura de Tela 2013-10-20 às 22.00.31

Mais informações sobre Consciência Fonológica AQUI

Imagens: Openclipart

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Confira também:

Postado por Fonológica em 28 de setembro

Atividades de Consciência Fonológica

 

RIMAS

Autoria da atividade: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Consciência Rimas

Mais informações sobre Consciência Fonológica AQUI

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Confira também:

Postado por Fonológica em 7 de julho

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

Nosso pensamento não opera de forma linear e sim como uma rede de imagens e de associações de ideias. A maneira tradicional de se fazer anotações, escrever e estudar, por sua própria natureza e estrutura, não favorece a criatividade e o fluxo de ideias.

Os mapas mentais são ferramentas gráficas que funcionam de forma análoga a nossa mente – o pensamento irradiante. A partir de uma ideia principal vão surgindo, irradiando e ramificando, outros temas, conceitos ou ideias secundárias.

Neste sentido, os mapas mentais proporcionam:

. Visualizar de maneira global cenários complexos;

. Fazer anotações;

. Esboçar um projeto;

. Expressar ideias complexas e difíceis de escrever;

. Ajudar na resolução de problemas e na tomada de decisões;

. Preparar uma apresentação em público;

. Estimular a memória devido a facilidade de consultar e de lembrar;

. Auxiliar nos estudos e na compreensão de textos;

. Gerar ideias para produções de textos;

. Inovar e modificar nossa maneira de ver e de pensar sobre as coisas;

. Agrupar grandes quantidades de informações em um esquema simples.

Como começar?

Ferramentas necessárias: uma folha de papel, lápis ou canetas coloridas e… um pouco de imaginação!

Coloque a ideia principal no centro da folha através de uma imagem e de uma palavra-chave.

Partindo desta ideia principal, desenhe ramos de cores diferentes com as palavras e as ideias mais importantes.

Faça linhas curvas e mais finas à medida que for se afastando do centro.

Deixo aqui um vídeo de Marco Carvalho sobre o assunto. Afinal uma imagem vale mais do que mil palavras!

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Referências:

Curso básico de mapas mentales em: www.orientacionandujar.es/wp-content/uploads/2013/07/curso-básico-de-mapas-mentales.pdf

Vídeo em: www.youtube.com/watch?v=uCR6T1aGiK4

 

Confira também: