Postado por Fonológica em 16 de julho

Autoria do texto: Lilian Kotujansky Forte

www.fonologica.com.br/quem_somos.html

O que é Compreensão?

Para melhor entender a complexidade desta pergunta, considere a seguinte instrução para aprender a montar uma barraca:

1. Coloque a barraca esticada no piso. Monte os conjuntos de varetas e passe os mesmos pelas canaletas existentes no dormitório formando um “X”.

2. Insira as extremidades das varetas nos ilhóses existentes nos quatro cantos da barraca, com isso você irá levantar a barraca. Fixe a barraca fazendo uso das estacas e passando as mesmas pelos quatro cantos e fixando ao solo.

3. Monte o terceiro conjunto de varetas e fixe o mesmo por baixo do sobreteto, ele fica preso entre as extremidades. Coloque-o por cima da barraca e fixe-o nos quatro cantos usando os elásticos que estão fixos nele. (Retirado e adaptado da Internet)

Se você ainda não sabe como montar uma barraca, talvez as instruções acima tenham lhe parecido incompletas ou difíceis de entender.

Você acredita que teria compreendido melhor as instruções acima se o texto tivesse ilustrações, diagramas e glossário?

Esta experiência nos mostra que a compreensão é a habilidade do leitor em interagir com a informação; tanto a informação contida no texto (neste caso, o manual de montagem da barraca) como, também, o conhecimento prévio do assunto e de seu vocabulário específico (acampar), o propósito da leitura (aprender como fazer algo) e a motivação (querer muito acampar).

A compreensão envolve todos aspectos citados para que se possa extrair e reconstruir o sentido de um texto.

Ativação do conhecimento prévio

O conhecimento prévio se refere àquilo que o indivíduo já conhece e que necessita ser ativado para ajudá-lo a assimilar novas informações.

Quando o leitor interroga a si mesmo e ao texto, perguntando o porquê dos acontecimentos (antes, durante e depois da leitura), ele consegue compreender melhor e monitorar o seu conhecimento daquilo que está sendo lido.

Pesquisas demonstram que, quanto maior o conhecimento que possuímos sobre determinado assunto, mais fácil e melhor será o aprendizado de um novo conteúdo.

Participação Ativa

A participação ativa se refere às estratégias de compreensão que o leitor usa enquanto lê:

§ Tenta ativamente construir o sentido do texto?

§ Toma notas ou grifa os pontos que considera importantes?

§ Concorda com um determinado argumento?

§ Revisa e reflete sobre o seu conhecimento baseado nas novas informações?

§ Sintetiza as informações para se lembrar melhor delas?

§ Baseia-se no contexto para descobrir o significado das palavras desconhecidas?

Bons leitores apresentam um maior repertório de estratégias de leitura, uma melhor compreensão e memorização daquilo que lêem.

Metacognição

Conhecer as estratégias de compreensão não é suficiente para ser um bom leitor. É também necessário adquirir um metaconhecimento, a fim de saber como e quando usá-las.

A metacognição, portanto, é a capacidade de refletirmos sobre os nossos próprios processos cognitivos.

O leitor competente possui um maior controle sobre o seu processo de aprendizagem e uma maior consciência de seu nível de compreensão. Neste sentido, quando percebe que não entendeu o que leu, consegue tomar providências para melhorar a sua compreensão.

Compreensão

Em suma, a compreensão – fazer sentido ou entender – é um processo complexo que acontece na mente de quem lê.

A compreensão requer que o leitor seja hábil em colocar em prática múltiplos processos antes, durante e após a leitura, para que possa construir significado sobre o texto.

Atenção: Os documentos eletrônicos aqui publicados são propriedade intelectual de Lilian Kotujansky Forte e de Cecília Schapiro Bursztyn ou de outros contribuintes individuais para o site. Você pode se referir às informações e citações dos artigos deste site, desde que inclua as referências e o link que permitam ao leitor de seu artigo localizar a obra original aqui.

Confira também: